Muitas vezes, diante de um comportamento tido como exagerado ou repetitivo, ouvimos comentários do tipo “Ih, olha o TOC!”. O termo “TOC” passou a ser usado indiscriminadamente, o que acabou banalizando uma situação que, na verdade, é bastante séria. Então, vamos entender melhor o que é o tal do TOC.

O Transtorno Obsessivo Compulsivo, mais conhecido como TOC, é um transtorno caracterizado por padrões pensamentos recorrentes (obsessões) e comportamentos repetitivos (compulsões), que consomem tempo, causam desconforto clinicamente significativo e chegam a trazer prejuízos para a rotina do indivíduo.

As obsessões dizem respeito aos pensamentos, impulsos ou imagens persistentes, que são experimentados de forma intrusiva, indesejável e que causam acentuada ansiedade. As compulsões são os comportamentos repetitivos ou atos mentais que o indivíduo se sente forçado a executar de acordo com regras estabelecidas que devem ser aplicadas rigidamente. As compulsões estão intimamente ligadas às obsessões, já que os comportamentos ou atos mentais visam prevenir algum evento ou situação temida em pensamentos. A pessoa que apresenta quadro de TOC tem uma forte sensação de que se não executar determinadas ações repetidas vezes, algo muito ruim poderá acontecer.

TOC 3

As principais manifestações de obsessões e compulsões são relacionadas aos seguintes aspectos:

  • Limpeza: lavar compulsivamente as mãos, escovar compulsivamente os dentes, pensar excessivamente em contaminação ou doença, limpar inúmeras vezes o mesmo local etc.
  • Verificação, checagem e reasseguramento: verificar repetidas vezes a tranca das portas, o acendedor do fogão, checar compulsivamente uma informação, repetindo perguntas muitas vezes, pensar em possíveis tragédias de forma recorrente;
  • Ordenação e arrumação: enfileirar objetos, arrumar e organizar de acordo com critérios estabelecidos;
  • Contagem: contar um determinado número de vezes, contar coisas etc.
  • Simetria e lateralidade: arrumar objetos, encostar em coisas de forma simétrica.
  • Conteúdo religioso: fazer determinadas orações repetidamente.
Leia também  Alimentos que melhoram a qualidade do sono

TOC limpeza

É muito importante ressaltar que qualquer um desses pensamentos ou comportamentos, ou mesmo a presença de alguma superstição, quando acontecem de forma isolada, sem trazer sofrimento acentuado, são absolutamente normais. O que caracteriza o TOC é justamente a intensidade e a frequência com que essas compulsões e obsessões aparecem. Nos casos de TOC, a pessoa verdadeiramente sofre com as obsessões e se sente muito ansiosa se não executar os “comandos” especificados. Os principais prejuízos observados são: queda de desempenho em atividades que exigem concentração, prejuízo na rotina do indivíduo, prejuízo nas relações sociais habituais e deterioração progressiva no funcionamento profissional.

O TOC tem bases químicas, genéticas e ambientais e pode atingir de 1 a 2,5% da população. Durante muito tempo, o TOC foi considerado um Transtorno de Ansiedade. Apenas em 2013, com a última edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, o DSM-V (que é um guia de classificação diagnóstica), o TOC passou a ser considerado um transtorno à parte dos transtornos de ansiedade. Segundo a literatura, o tratamento mais eficaz para esse transtorno é a Terapia Comportamental associada à farmacoterapia. Felizmente, na maioria das vezes, essa associação terapia-farmacologia consegue atenuar ou eliminar completamente os sintomas obsessivos–compulsivos.

Se você tem algumas manias ou rituais que não trazem sofrimento nem prejuízo acentuado para sua rotina, você, provavelmente, é apenas uma pessoa com um padrão de perfeccionismo e organização elevado e não sofre de TOC! Lembre-se: O TOC é um transtorno sério, que traz angústia e ansiedade, portanto merece atenção, respeito e intervenção!