O mês de outubro é marcado pela campanha de prevenção e conscientização ao câncer de mama. Uma doença multifatorial marcada pela multiplicação de células anormais da mama que levam ao tumor. Um tratamento doloroso, que marca a vida e corpo das mulheres que sofrem com esta doença.

No Brasil, 25% dos casos novos de câncer ao ano são os de mama, ele tem alta prevalência. O Sistema Único de Saúde (SUS) fornece atendimento, tratamento e acompanhamento.

Fatores de risco

Os fatores de risco são vários:

  • Idade acima de 50 anos, mas também pode acontecer em mulheres mais jovens;
  • Obesidade e sobrepeso;
  • Sedentarismo e consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Exposição frequente a raios-x;
  • Primeira menstruação antes dos 12 anos;
  • Não ter filhos;
  • Primeira gravidez após 30 anos;
  • Não amamentar;
  • Uso de contraceptivos hormonais;
  • Histórico familiar de câncer nos ovário e de mama.

Sinais e sintomas

Antes de esperar fazer o exame ou chegar aos 50 anos, todas nós já podemos fazer o outo exame. Escolha m local e momento tranquilo do seu dia para tocar as mamas e observá-las. Atente-se aos seguintes sinais:

  • Caroço fixo e indolor;
  • Pele da mama avermelhada;
  • Alterações no mamilo;
  • Nódulos na axila e no pescoço;
  • Saída espontânea de líquido dos mamilos.

Ninguém melhor do que nós mesmas para conhecermos nosso corpo. Apresentando o menor sinal, procure um hospital ou posto de saúde e inicie a investigação.

Prevenção

A prevenção é basicamente adotar um estilo de vida saudável:

  • Praticar atividade física;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Amamentar;
  • Fazer os exames ginecológicos periodicamente;
  • Realizar a mamografia de rastreio a cada 2 anos ou de acordo com a recomendação do seu médico;
  • Alimentação saudável.

*Dados retirados do site do INCA

Campanha do INCA

Campanha do INCA

Alimentos

Vamos falar sobre este último método de prevenção do câncer de mama citado: alimentação saudável.

Muito ouvimos sobre alimentos que combatem o câncer e outros que auxiliam na formação de células cancerígenas. Ainda temos muito o que estudar sobre esse assunto, o câncer é uma incógnita em vários aspectos desde a sua formação, tratamento e prevenção.

Leia também  A paralisia cerebral e a alimentação 

Vemos vários sites e textos nas redes sociais prometendo o “alimento que cura o câncer” pode ser a maçã, os feijões, azeite, cereais integrais, alcachofra, frutas vermelhas, broto de alfafa, cúrcuma, alho, tomate, algas, cenoura, uva, romã, pimenta, soja… O que eu quero dizer para vocês é que não adianta comer brócolis até ficar verde para não ter a doença ou curá-la uma vez instalada. A alimentação deve ser equilibrada em alimentos naturais, frescos, variados, todos juntos, sem restrição, dessa forma nosso corpo é inundado de todos os nutrientes de que ele precisa para funcionar perfeito e em harmonia.

Sabemos, e existem estudos sobre isso, que os alimentos industrializados, ultraprocessados, ricos em gorduras, sódio, açúcar, substâncias químicas e antinutricionais, em excesso podem nos causar diversas doenças: obesidade, hipertensão, diabetes, alergias, problemas intestinais, renais e hepáticos, entre tantos outros. Uma vez em desequilíbrio, abrimos portas para outros agentes que nos causam doenças, por isso devemos evitar esses alimentos e fechar todas as entradas.

Nosso organismo forte, sem vícios, com sistema imune reforçado, renova suas estruturas, vence lutas contra os vírus, bactérias, infecções e também está muito mais resistente e fortalecido para a grande guerra que é o tratamento do câncer.

Mulheres, vamos nos apoiar e juntas vencer mais essa batalha!

Beijos=**