Você conhece alguma pessoa que tem um hábito alimentar super restritivo? Aposto que sim. Essa semana estava pesquisando um assunto legal para abordar aqui no blog e me deparei com um artigo que mostrou os resultados de uma pesquisa sobre a neofobia alimentar em crianças. Logo identifiquei algumas pessoas da minha vida que permaneceram com esse problema até a vida adulta, mas poucos sites e artigos científicos abordam sobre isso. Vamos esclarecer?

O que é neofobia alimentar?

Neofobia alimentar quer dizer medo de experimentar alimentos novos, e é bastante comum, pois a grande maioria de nós, senão todos nós, já sentimos isso ao conhecer um alimento. Você provavelmente deve estar se lembrando de algum alimento que não gosta de comer, mas não gostar de um alimento é totalmente normal, o problema é quando não gostamos de um grupo inteiro deles.

A neofobia alimentar é fortemente associada a infância, pois é o período da vida que mais tendemos a recusar os novos alimentos antes mesmo de experimentá-los, porem, se não houver o cuidado dos pais com a educação nutricional esse problema pode permanecer até a fase adulta.

New is good!

Pessoas que excluem alimentos por sua cor, textura ou cheiro podem chegar a ter deficiências nutricionais importantes que geram uma série de sintomas como cansaço, mal estar, dores de cabeça, constipação, queda no sistema imune e muitos outros.

Como resolver?

Para as crianças, é importante manter o alimento estranho sempre presente no prato, tanto dela quanto no dos pais/irmãos, assim, o que era estranho se torna comum, e a curiosidade faz com que ela queria experimentar aquele alimento.

É importante lembrar que não se deve forçar a ingestão desses alimentos ou recompensá-la com a sobremesa por exemplo, isso cria uma memória negativa do alimento para as crianças e ela tendem a recusar cada vez mais, como já foi falado no post Meu filho não quer comer, e agora?

Para os adultos o importante é quebrar as barreiras que impedem de comer determinados alimentos e assim, gradualmente incluí-lo nas preparações. O acompanhamento de um psicólogo pode ser necessário em casos mais restritivos como não comer nada da cor verde, ou  não comer nada que tenha a consistência pastosa por exemplo, pois provavelmente alguma memória da infância faz bloquear esses alimentos.

Leia também  Anemia ferropriva pode ser erro alimentar

Comer de tudo

E aí, gostou? Então compartilhe esse post com seu amigos e deixe seu comentário pra gente!

Beijo beijo e até o próximo post!