Estamos vivendo, no país e no mundo, a epidemia de três doenças causadas por um único mosquito: o Aedes aegypti. A dengue e a zika estão atingindo cada vez mais pessoas. O importante é nos unirmos no combate aos focos de água parada, ainda que suja, onde o mosquito se reproduz, e uma vez instalada a doença, tratá-la com responsabilidade. Vários seguimentos estão fazendo a sua parte: os agentes de saúde vão às casas para orientar a população, a rede SUS traz mutirões de exames para detecção da doença, cada cidadão cuida da sua casa, rua e bairro. Nós decidimos aliar a nutrição ao combate dos sintomas e recuperação da doença.

A alimentação auxiliará na recuperação do sistema imunológico e amenização dos sintomas, uma vez uma dessas doenças instaladas. Mas, infelizmente, não impedirão de tê-las, uma vez picado pelo mosquito contaminado.

Orientações

Dieta de fácil digestão e absorção, ou seja, alimentos mais leves, bem cozidos, com pouca gordura, pois há mudanças na nossa microbiota intestinal devido a febre alta, tornando o processo todo da digestão mais lento.

Para aumentar a resistência imunológica precisamos das vitaminas e minerais vindos dos vegetais: frutas legumes e verduras são nossos aliados no aumento da imunidade, muito prejudicada na presença dos vírus. Há estudos que estão relacionando a vitamina D com o aumento da imunidade, sendo estudado principalmente para os casos de zika, onde o vírus é contraído, mas os sintomas não são aflorados.

Em casos de anemia, a presença do ferro (carnes vermelhas e vegetais verde-escuros) juntamente com a vitamina C (frutas cítricas) é bem vinda! O ferro  também auxilia na reposição das plaquetas, diminuídas principalmente na dengue.

A hidratação é ponto chave para recuperação! Além da reposição endovenosa de soro nos centros de saúde, a hidratação via oral através da água mineral, soro caseiro, suco de frutas, chá e água de coco também são importantes. A recomendação é de 60ml a 80ml de água por kilo de peso por dia, ou seja, se você pesa em torno de 70kg, deverá beber cerca de 4,2L a 5,6L por dia!

Leia também  O perigo pode estar na sua cozinha!

Em casos de inapetência, ou seja, falta de apetite, o ideal é fazer um esforço e alimentar-se a cada 2 horas em pequenas quantidades.

Para quem perdeu muito peso em pouco tempo, o uso de suplementos é indicado para recuperação dos nutrientes e massa muscular perdidos.

Alimentos evitados

Existe uma substância em alguns alimentos chamada salicilato, ela inibe a ação das plaquetas aumentado o tempo de sangramento, esta substância é parente do Ácido acetilsalicílico, mais conhecido com aspirina, que também não é recomendado pelos mesmos motivos. Em pessoas saudáveis a quantidade ingerida não faz diferença, porém nos casos em que a quantidade de plaquetas já está muito diminuída, como nos casos dessas doenças, o melhor é evitar ou comer em pouca quantidade.

São eles: abricó, ameixa fresca, amêndoa, amora, batata, cereja, groselha, limão, maçã, morango, nectarina, nozes, pepino, pêssego, pimenta, tomate e uva.

Além desses, alimentos com ação anti-trombótica, ou seja, que evitam a coagulação sanguínea também devem ser consumidos em pequena quantidade: alho, cebola e gengibre.

Mito!!

Se você acha que tomando chá de cravo com canela afasta o mosquito, está enganado! O seu aroma não funcionará como um repelente natural. Sabemos que o cravo e a canela possuem ação antifúngica, o que não tem nada a ver com o mosquito da dengue.

zika

Cartaz mais recente da campanha Federal contra o mosquito.

 

Espero ter ajudado!

Beijos =**