O ser humano é uma mistura de sensações e sentimentos que garantem a sua sobrevivência. A ansiedade é uma delas. Vou falar um pouco sobre como a ansiedade pode influenciar no hábito alimentar e na perda de peso.

Sabemos que cada pessoa possui o seu metabolismo específico seja mais acelerado ou mais lento, que existem escolhas alimentares mais corretas que outras, que exercícios físicos são fundamentais para uma vida mais saudável, mas nada disso adianta saber se não for colocado em prática, e o estado de tensão, angústia, ou preocupação excessivos podem transformar essas orientações em pesadelos.

Pode ser desencadeada através de um evento que cause extremo medo, nervosismo, e então a pessoa desconta no alimento essa ansiedade seja comendo demais ou de menos. Ou a própria dieta é o causador da ansiedade trazendo sabotadores para a perda de peso.

Como assim? Vou explicar melhor…

No primeiro caso, quando em uma entrevista de emprego, uma prova importante de vestibular ou concurso, uma apresentação em público, o resultado de um exame, problemas com algum parente, pressão no trabalho ou qualquer outra situação que pode gerar apreensão, algumas pessoas, com o intuito de “acalmar”, comem excessivamente qualquer tipo de alimento, em seu consciente consideram que na comida essa ansiedade é descontada e sentem-se mais calmas. Mas quando a comida acaba, os sentimentos angustiantes voltam e então o ciclo vicioso é instalado. A partir daí a ansiedade é tratada como compulsão alimentar.

Por outro lado existem aqueles que diante dessas situações param de comer, não sentem fome e ficam períodos longos em jejum, prejudicando a saúde no aparecimento de anemias, deficiência de vitaminas e minerais, indisposição, fraqueza, hipoglicemia entre outros sintomas. Apresentando um tipo de anorexia.

Leia também  O outro lado da balança

A outra situação é quando a própria dieta causa tal ansiedade para a perda de peso rápida que a pessoa não consegue segui-la, ou parte para dietas da moda infundadas e apresentam o temido “efeito sanfona”. Dessa maneira sempre frustrada pelo reganho de peso muitas vezes maior que o perdido, desconta sua ansiedade justamente no alimento, transformando-o em seu conforto não seguindo uma rotina alimentar saudável.

Quem pode ajudar?

Nesses momentos o nutricionista é procurado, ele pode trabalhar com a educação nutricional e ensinar quais alimentos são mais prejudiciais, trabalhar com a saciedade e outros pontos pertinentes, mas sozinho ele não trata dessa ansiedade incontrolável, então um profissional da saúde emocional, psicólogo pode auxiliar e muito no combate a esse sentimento descontrolado.

De acordo com a neuropsicóloga Priscila Rodrigues, “Antes de se tornar um transtorno psiquiátrico, a ansiedade faz parte da nossa vida e pode ser encarada de forma positiva, nos ajuda a prever possíveis consequências, a ter um olhar geral de determinada situação. Porém, em excesso é encarada como um transtorno e deve ser tratada, uma das maneiras de diminuir os efeitos negativos da ansiedade é a busca de meios alternativos para canalizar toda essa energia, com a prática esportiva, desenvolvimento de habilidades artísticas na forma de dança, música, pintura, desenho, também no encontro de novos hobbies. Em casos extremos, é importante a procura de profissionais como psicólogo e psiquiatra para diminuir os sintomas exacerbados da ansiedade.”

dont panic

Assim, com a ajuda de nutricionista e psicólogo, trabalhando o corpo e a mente, você consegue se livrar da ansiedade canalizada no alimento, organizar a sua mente e atingir seus objetivos.

“Se nossos pensamentos forem limpos e claros, estaremos melhor preparados para alcançar nossos objetivos.”

Aaron Beck

Essa é a nossa opinião! Deixe a sua!

Leia também  Entendendo a cirurgia bariátrica

Beijos ;**