270 dias de gravidez + 365 dias do primeiro anos de vida + 365 dias do segundo ano de vida = Primeiros 1000 dias!! Essa talvez seja a conta mais importante e decisiva da nossa vida toda. São nesses 1000 dias que ocorrem o maior período de crescimento e desenvolvimento do ser humano. Se você for parar para pensar, o que começa na fecundação de duas células microscópicas, após esses mil dias, se tornam um pequeno serzinho de até uns 13 Kg que come, fala, anda, brinca e faz muitas outras coisas já sozinho. Não é incrível? É por isso que nessa fase as escolhas feitas pelo pai e, principalmente pela mãe (que carrega esse pequeno por 270 dias no ventre) são cruciais para definir o futuro desses que serão crianças, adolescentes, adultos, idosos.

Na gravidez

gravidez

O cuidado com a alimentação se inicia no momento em que a gravidez é anunciada, ou até mesmo antes disso, no próprio planejamento familiar, com a finalidade de preparar o corpo para gerar um bebê saudável. E antes que você me pergunte se precisará comer por dois, eu te digo: Não! De forma alguma! É muito mais importante a qualidade do que você come do que quantidade. O excesso de peso da mãe também pode ser um fator prejudicial na gestação, tanto para o bebê, quanto para a mãe. Alguns nutrientes são fundamentais e, na maioria das vezes são ingeridos em forma de suplemento, uma vez que não conseguimos as necessidades diárias através da alimentação. É o caso do ácido fólico, por exemplo!

De 0 a 12 meses

0-a-12-meses

A nutrição continua sendo um fator decisivo para a saúde do bebê já nascido. Nos primeiros 6 meses de vida, o ideal é que ele seja alimentado única e exclusivamente com o leite materno, e nada mais. Como já foi dito nesse blog muitas vezes (muitas mesmo), o leite da mãe é produzido especialmente para suprir as necessidades do bebê que ela eu a luz. Não pode haver alimento melhor e mais completo que esse, certo? Não existe leite fraco ou forte, todo leite materno é o ideal para o bebê! (Para saber mais sobre as fases do leite materno, clique aqui).

Leia também  Amamentação em Público

Após esses 6 meses de exclusividade com o peito da mamãe, o bebê já está pronto para receber os primeiros alimentos e líquidos preparados. A papinha dos primeiro mês deve ser mais amassadinha (sim, amassada e não batida), com pedacinhos bem pequeninhos para que o bebê se acostume com a consistência mais sólida e, ao passar dos meses, essa consistência deve evoluir até que ele consiga comer a mesma que nós comemos. Não deve haver muito sal, e nem açúcar, nada de alimentos fritos, processados ou muito industrializados. Ah, e claro, o leite materno deve continuar presente até pelo menos os dois anos de vida, sendo reduzida a sua frequência de pouquinho em pouquinho.

Sabia que uma criança obesa tem 40% de chance de se tornar uma adolescente obeso e também um adulto obeso? É nessa fase que ocorrem os maiores erros alimentares, principalmente nas escolhas dos alimentos, e essas escolhas, como podem ver, são determinantes para a saúde da criança. A obesidade em si não é o maior dos problemas e sim o que ela trás associado. As doenças da obesidade são as mais frequentes na nossa população: diabetes, hipertensão, colesterol alto, além de problemas respiratórios e ortopédicos nos casos mais graves.

De 1 até 2 anos

1-a-2-anos

Após o primeiro ano de vida a criança evolui sua alimentação, já faz escolhas próprias e começa a mostrar ainda mais suas preferências. É normal rejeitar os alimentos que são novos para ele, não se preocupe com isso! Bebês podem chegar a recusar os alimentos mais de 10 vezes antes de finalmente descobrir que gostam dele. O importante é fazer a oferta com frequência, não desistir, até ver se ele realmente gosta ou se continua recusando. E não force a ingestão de nenhum alimento, ao fazer isso, criamos uma memória de recusa e trauma relacionados aquele alimento e/ou a hora de comer em si, e não é isso que queremos, então, tenha paciência! Monte pratos coloridos, variados, com todos os grupos de alimentos (carboidratos, proteínas, verduras e legumes), isso ajuda e muito no apetite e aceitação dos alimentos.

Leia também  Meu filho come demais, e agora?

E por fim…

Lembre-se, tudo para eles é um aprendizado! Todos os dias novas informações são armazenadas, e todas elas, em algum momento da vida, serão úteis para a formação dos hábitos, da personalidade e do caráter desse futuro homem ou mulher. Se quer que seu filho cresça saudável e seja uma boa pessoa, o primeiro passo é dando o próprio bom exemplo!

Faça desses 1000 os melhores e mais maravilhosos dias, para que os outros tantos 1000 que virão continuem sendo assim!

Por hoje é só!

beijo beijo e até o próximo post!