Essa semana, a OMS (Organização Mundial da Saúde)  gerou um relatório sobre a obesidade infantil. No mundo temos 41 milhões de crianças de até 5 anos de idade acima do peso ou obesas. E entre 1994 e 2014 o número dessas crianças dobrou nos países em desenvolvimento. O Brasil faz parte desses países, e o que você tem feito pelo seu filho para evitar que ele se torne parte desses números?

Quando seu filho era um bebezinho de seis meses de idade, você introduziu mucilagens e farináceos na mamadeira? Quando ele começou a comer papinhas você já entrou com iogurtes adoçados e bolachas industrializadas? Com um aninho de vida os salgadinhos de pacote e as batatas fritas já faziam parte do seu cardápio? E tinha refrigerante ou sucos industrializados na mamadeira dele?

Se sim, então ele faz parte desse número, ou se ele continua magrinho e nada for mudado, no futuro fará parte dos diabéticos, hipertensos, colesterol elevado, infartados, entre outras tantas doenças que vemos crescer a cada dia.

Sabemos que o marketing nesses produtos é pesadíssimo, que dizer não à uma criança é muito difícil, principalmente se vem acompanhado de chantagens emocionais e birras. Mas pais, temos que ser fortes e pensar no bem estar dos nossos filhos, no futuro e na saúde deles.

A obesidade infantil não é brincadeira, tem que ser tratada com seriedade e responsabilidade.

obesidadeinfantil

Desmistificando alguns conceitos…

“Ele não para de me olhar tomar o refrigerante e está com vontade…”

Não! Seu bebê não tem vontade de tomar uma coisa que ele não conhece o gosto! Quem pensa assim é você! Nós introduzimos os sabores conforme vamos apresentando os alimentos. Uma fruta madura é o que ele conhece de doce, um legume só cozido na água sem sal é o que ele conhece de salgado, nós moldamos o paladar dos nossos filhos.

Leia também  Hoje é dia de culinária infantil

“Essa criança não tá muito magrinha? Põe uma farinha na mamadeira dela!”

Não! Essas mucilagens e farináceos, pelo próprio fabricante só devem ser introduzidas na alimentação a partir do dois anos de idade! Elas são compostas por farinhas de milho, arroz, e outros cereais e mais um montão de açúcar, além de ser industrializado e ter conservantes e outras substâncias que a indústria adiciona nesses alimentos. A digestão  se torna um processo pesado, lento e de difícil execução, além de extremamente calórico. Toda criança passa por uma fase de lentidão no crescimento, é natural. Se estiver inseguro, consulte um pediatra, ele poderá te informar melhor.

“Como assim você nunca levou seu filho pra comer um lanche feliz?”

Já vi em redes sociais fotos de crianças sendo levadas pelos pais às redes de fast foods e comendo batatas fritas com menos de dois anos de idade! Onde isso é legal? Você já está inserindo alimentos ricos em gordura, sal, açúcar, conservantes e hipercalóricos no seu bebê antes, muitas vezes, dele aprender a falar. Qual a vantagem nisso?

child-643438_640

Pais, por favor, conscientizem-se!!! O problema da obesidade é cada vez mais presente, fácil de acontecer e difícil de tratar… a educação alimentar também deve estar presente em casa!

Essa é a nossa opinião. Deixe a sua!

Beijos ;**