Essa semana, no ambulatório em que eu trabalho, tenho atendido muitas crianças de diversas idades e problemáticas alimentares. Mas em especial, uma mãe me chamou atenção e fez eu querer estudar um pouco mais sobre o método BLW de introdução alimentar. O bebê tem cinco meses e 20 dias, alimentado apenas com leite materno até então e a mãe queria orientações sobre como ordenhar o leite pois ela voltaria a trabalhar e o bebê passaria 6h durante o dia na creche. Também queria dicas sobre a introdução alimentar do seu bebê e disse que ele já pega objetos com as mãozinhas e fica sentadinho com apoio. Segui as orientações da OMS e orientei essa mãe, mas ao final da consulta, além do suco de frutas e a fruta amassada no garfo falei também para ela deixá-lo sentadinho no cadeirão e oferecer  pedaços inteiros de frutas macias como a banana e o mamão cortados em tiras e deixar que ele tente se alimentar sozinho. Ela gostou muito da ideia e eu resolvi ler um pouco mais sobre esse método.

O BLW, do inglês baby led weaning, significa na tradução literal “desmame que o bebê lidera”. Termo proposto por Gil Rapley, em 2008, quando lançou seu livro “Baby Led Weaning: helping your baby to love good food”. Esse método de introdução alimentar consiste em deixar o bebê fazer o desmame natural enquanto experimenta novos alimentos e texturas totalmente diferentes do leite materno. Ele vai gradualmente comendo mais e mamando menos de forma natural e progressiva.

Ao invés de papinhas servidas com colheres, o bebê é posicionado à mesa, junto com o restante da família e o alimento é pego com as mãos e levado à boca por ele mesmo, e quando estiver maior e com as habilidades mais desenvolvidas, os talheres são introduzidos.

Leia também  Como deixar a festa do seu filho mais saudável

O BLW permite que o bebê tenha experiências sensoriais de cheiro, textura, sabor de diferentes alimentos, desenvolve músculos faciais e habilidades motoras, transfere confiança e autonomia. E o melhor de tudo, ele se torna uma criança sem frescuras e restrições alimentares quando maior.

blw3

Vocês devem estar imaginando: mas como assim meu bebê de seis meses vai comer sozinho? Será que ele vai comer todos os nutrientes que precisa? E a quantidade? Será que não vai engasgar?

Essas perguntas passaram pela minha cabeça também, e lendo matérias e depoimentos de mães sobre o assunto, acabei sanando muitas dessas dúvidas.

Aos seis meses

Quando completados os seis meses de vida, a maioria dos bebês já conseguem sentar sozinhos, pegar objetos com as mãos, ter o reflexo de protusão de língua (o que evita os engasgos) e o organismo como um todo, principalmente o sistema digestivo, já está maduro para receber novos alimentos.

Quais alimentos

Os alimentos são os mesmos preconizados pela OMS: frutas, legumes, carnes, leguminosas o que muda é o modo de apresentação. Eles dever ser oferecidos separadamente para que o bebê explore as diferenças entre os alimentos quanto ao sabor, odor, textura, cor, tamanho, formato. Os alimentos mais duros devem ser levemente cozidos para que se tornem macios e possíveis de serem mastigados. As carnes cortadas em pedaços grandes, sendo que no início serão chupadas pelo bebê. O tamanho ideal dos alimentos é que sejam cortados do tamanho do punho do bebê, e com o passar do tempo em tamanhos menores. A água pode ser oferecida, mas o leite materno já hidrata o seu bebê!

Engasgos

O próprio desenvolvimento da alimentação faz o bebê primeiro mastigar e depois empurrar o alimento e procurar pedaços grandes. O que com a colher, o bebê tenha que sugar diretamente o alimento pastoso para o fundo da boca. Importante também sempre deixá-lo apoiado e sentado ereto no momento da refeição. A forma de apresentação do alimento também auxilia, sempre cortado em tiras ou palitinhos, de uma forma que seja fácil pegar. Evitar castanhas, amendoins e frutas com sementes grandes é essencial para evitar o engasgo.

Leia também  Como montar uma lancheira saudável

BLW2

Uma pincelada sobre o método BLW de introdução alimentar foi dada à vocês! Mas há muito mais a ser explorado! Antes de iniciar, discuta com seu pediatra e procure especialistas no assunto. Lembrando que bebês prematuros ou que tenham algum tipo de deficiência podem não se encaixar nas características descritas para total segurança!

E também a supervisão dos pais e/ou responsáveis durante a alimentação é de extrema importância!

Se você já utiliza esse método com o seu bebê, relate sua experiência para nós!

Beijos =**