Sempre disponível, na temperatura ideal, na quantidade certa, servido no colo da mamãe, e o melhor, é de graça! O leite materno é o melhor alimento do mundo por ter todas essas vantagens, mas não só por isso. Ele é produzido pela mãe especialmente para o seu filho, e sendo assim, é capaz de mudar a composição de acordo com o desenvolvimento do bebê. Existem três fases pelo qual o leite materno passa: o colostro, de transição e maduro. Vamos entedê-las melhor?

A primeira fase do leite materno: o colostro

Nos primeiro dias de vida do bebê, a mãe produz um leite rico em proteínas, com um pouco menos de gordura que os outros, mas essencial para o recém-nascido. Sua consistência mais espessa, de cor amarelada e um pouco transparente podem fazer com que as mães pensem que o leite é “fraco”, quando na verdade não existe fraco ou forte para leite materno, todo leite é ideal. Além disso, o colostro é repleto de imunoglobulinas que passarão da mãe para  o bebê funcionando como uma primeira vacina para a formação da imunidade.

Colostro

A segunda fase do leite materno: leite de transição

Após quarto ou quinto de vida, o leite começa a mudar seu aspecto e também sua composição. O leite que parecia mais ralo, passa a ficar mais esbranquiçado e mais denso, isso porque a quantidade de gordura e carboidrato vai aumentando enquanto a proteína vai diminuindo gradativamente. O mesmo acontece com as imunoglobulinas que vão diminuindo aos pouco no passar dos dias. A produção de leite aumenta consideravelmente, pois o bebê já suporta uma ingestão maior do que nos primeiro dias de vida.

Leite de transição

A terceira fase do leite materno: leite maduro

No final do primeiro mês de vida o leite materno está finalmente maduro. Ele atinge uma coloração esbranquiçada e uma fluidez diferente do leite de vaca com o qual estamos mais familiarizado, mas isso também não significa que o leite é mais fraco ou não é ideal. Lembre-se: o leite da vaca é produzido especialmente para o bezerro, um filhote muito maior e que possui necessidades muito diferentes do bebê de uma pessoa. O leite materno contém nutrientes específicos para nutrir e satisfazer perfeitamente as necessidades do bebê, por isso, até o sexto mês de vida ele deve ser exclusivo, nem água, chá, suco, papinhas devem ser introduzidos antes desse período, pois essas ingestões precoces podem atrapalhar o desenvolvimento do sistema digestório e causar outras complicações futuras como a obesidade infantil por exemplo.

Leia também  Os maravilhosos primeiros 1000 dias

Leite maduro

Você sabia? Ao longo da mamada o leite maduro sofre alterações de composição e sua aparência também muda. No inicio da mamada ele parece sempre mais aguado, e é justamente para saciar a sede do bebê. Conforme vai chegando no final, quando a mama já está quase vazia, o leite fica mais amarelado e mais denso, isso porque é o leite que vai de fato nutrir. Ele possui mais gordura, mais carboidrato e todos os nutrientes concentrado nesse leite que finaliza a mamada. Ambos são importantes para o bebê, por isso é importante que ele esvazie a mama em uma só mamada. Claro que é um processo de adaptação. Se a mamada não acontece dessa forma, outras estratégias deverão ser conversadas com o médico para que não haja nenhuma defasagem de nutrientes.

Importante lembrar também que após o sexto mês de vida, quando o bebê já estiver iniciado a alimentação, as mamadas devem ir diminuindo gradativamente até os dois anos de idade.

Leite materno

Ficou alguma dúvida? Então escreva para gente e não deixe de compartilhar nas suas redes sociais!!

Beijo beijo e até o próximo post!