Você já reparou em como as pessoas reagem ao ver uma mulher amamentando em público? Algumas pessoas ignoram, agem normalmente, outras tentam disfarçar a indignação, outras ainda vidram o olhar como se fosse coisa de outro planeta. Como você reage?

Eu confesso que sempre que eu vejo uma mãe prestes a colocar o seu bebê para mamar no peito, minha reação imediata é desviar a atenção para que ela não se sinta constrangida. Eu não sou mãe, mas tento me colocar neste papel e penso que não ia gostar nada de ter um monte de pessoas estranhas olhando pro meu peito.

Presenciei uma ocasião dessas há poucos dias e não resisti em perguntar para a mãe como ela se sentia. Ela me disse que no início ela se sentia mais envergonhada, mas que a vergonha de ter um bebê se esgoelando pedindo pra mamar é muito maior do que a vergonha de mostrar uma parte do corpo e que ela acabou se acostumando. Perguntei se era por isso que ela cobria a cabeça do bebê enquanto ele mamava e ela me disse que sim. Fiquei pensando se essa era realmente o melhor a se fazer. Será que colocar a fraldinha na cabeça do bebê não é desconfortável pra ele, pra respiração, concentração e todas essas coisas que envolvem o processo da amamentação?

Foi então que vi esse vídeo…

Nem preciso falar mais nada né?

Fui pesquisar mais sobre amamentação e me deparei com o termo “mamaço” que é um movimento onde mães se reúnem pra protestar amamentando seus bebês juntas e ao mesmo tempo em algum lugar (geralmente onde alguma mãe foi recriminada por amamentar em público). Encontrei várias reportagens sobre mamaços sendo realizados aqui em São Paulo e em todo Brasil, mas acredito que este número está prestes a diminuir.

Amamentação em público é protegida por lei!

Entrou em vigor dia 14 de outubro na cidade de São Paulo, a lei que permite multar o local que proibir amamentação em público. Essa multa deve custar R$500,00 ao estabelecimento, e o dobro deverá ser cobrado caso  uma segunda denúncia seja feita no período de dois anos desde a primeira denúncia. As denúncias deverão ser feitas de forma oral ou escrita à subprefeitura da região do estabelecimento onde ocorreu a proibição.

Leia também  Os maravilhosos primeiros 1000 dias

Vale a pena ressaltar sempre que a amamentação infantil é direito de toda criança e deve ser exclusiva até os seis meses de idade (exceto em alguns casos que a mãe realmente não pode amamentar). Além de ser o alimento mais perfeito para o bebê (porque cada leite de cada mãe é único e exclusivo), a amamentação fortalece o vínculo mãe e filho, ajuda no retorno do útero ao seu tamanho e formato normal após o parto, e pode até prevenir o câncer de mama. Ou seja, leite materno é vida!

Vamos torcer pra que essa ação se prolifere para todo o Brasil, porque bebês tem o direito de mamar onde sentirem vontade.

Essa é a minha opinião, qual a sua? Deixe seu comentário aqui pra gente saber ;D

Beijo beijo, e até o próximo post!